Os desastres associados a deslizamentos, na maioria dos casos no Brasil, revelam uma forma de organização social favorável a ocupação desordenada de áreas naturalmente suscetíveis a deslizamentos por populações altamente vulneráveis diante dessas ameaças, realidade que precisa ser considerada na gestão de riscos.

Em maio de 2019 foi realizada uma roda de conversa  entre acadêmicos e representantes de movimentos sociais da comunidade da Rocinha, favela de mais de 100 mil habitantes, no Rio de Janeiro. Foi adaptado o método Photovoice como ferramenta para facilitar o debate, em que a exposição de imagens fizeram suscitar os temas de reassentamento de moradores de áreas de risco, de deficiência do sistema de alarme e de solidariedade entre moradores.

A roda de conversa envolveu basicamente professores da áreas de antropologia, engenharia geotécnica e sociologia e moradores representantes de movimentos sociais locais. A participação de um artista francês permitiu que seu olhar de fora traduzisse a discussão, através da realização, durante a atividade, de sua obra que ficou exposta na comunidade.
Confira o vídeo no canal do Projeto Encosta Viva disponível no Youtube

Encosta Viva